Notícias


Reputação e imagem levam empresas a adotar gestão ambiental


Sondagem Especial de Meio Ambiente, da Confederação Nacional da Indústria (CNI), revela que 7 em cada 10 indústrias - 78,6% das empresas pesquisadas - brasileiras adotam procedimentos de gestão ambiental por causa da imagem e da reputação das organizações. O segundo motivo (77,7% dos entrevistados) são as exigências do licenciamento ambiental, seguidas de regulamentos ambientais, apontados por 66,6% delas.

O levantamento da CNI envolve empresas de todos os portes e setores e revela que as práticas adotadas variam de redução na geração de resíduos ao uso eficiente da energia e diminuição no gasto de água, entre outros procedimentos.

De acordo com a pesquisa - a íntegra pode ser conferida no endereço www.cni.org.br -, o porcentual de empresas que adotam procedimentos ambientais sobe para 95% entre as de grande porte.

“É crescente o nível de exigências e de atribuições que são dadas às empresas, o que exige um nível de atenção muito alto, porque muitas se transformam em custos. Há um limite entre essas exigências e o que a empresa tem de benefícios com imagem e preço que pode incorporar aos produtos lançados no mercado”, avalia a diretora de Relações Institucionais da CNI, Heloisa Menezes.

As empresas também demonstram preocupação com a redução de desperdícios de matérias-primas (55,3%), com a melhoria da qualidade dos produtos (37,7%) e em atender à demanda de clientes e consumidores (27,9%).

As empresas (88%) que informam adotar procedimentos de gestão ambiental disseram possuir Sistema de Gestão Ambiental (SGA), ou seja, procedimentos sistemáticos, tais como certificação (a exemplo do ISO 14.000). “A certificação é aceita internacionalmente. Então é positiva para a empresa. Mas tem também aquelas que não perseguem a certificação, o selo, mas que adotam práticas diárias, sistemáticas, como redução de resíduos e de uso de água e energia”, diz Heloisa.

Fonte: Sociedade Sustentável

 

- A Boa Hora recepcionar Equipe Técnica pela Convenção de Estocolmo (CE) sobre Poluentes Orgânicos Persistentes–POPs
<p class="titulopaginas" align="center">A...
- Conama aprova resolução sobre lançamento de efluentes
O Conselho Nacional do Meio Ambiente aprova resolução...
- A gestão do lixo requer uma gestão compartilhada
Segundo o Manual de Gerenciamento Integrado -...
- Brasil precisa substituir lixões por aterros até 2015
A implementação da Política Nacional de Resíduos...
- Plantas crescem menos com aquecimento global
Segundo um estudo publicado na revista Science,...
- Política Nacional de Resíduos Sólidos é debatida no Senado
O substitutivo da Câmara dos Deputados ao projeto...
- Brasil fica em 2º lugar em ranking internacional de consumo verde
O Brasil ficou em 2º lugar - atrás apenas da Índia...
- Economia Verde frente às Mudanças Climáticas
Todo ano o estado de São Paulo realiza uma Conferência...
- Educação ambiental pode ser custeada por produtos descartáveis
Além disso, o projeto determina a aplicação em...
- CEF adota critérios para projetos de resíduos Sólidos
BRASÍLIA - A Caixa Econômica Federal instituiu...
- A construção de aterros sanitários no Brasil custa cerca de R$ 525,8 milhões
A construção de aterros sanitários no Brasil custa...
Logotipo Boa Hora
Menu:

 

 

 
Boa Hora Central de Tratamento de Resíduos - Rua Daniel Pedro Peralta, 925 - Mauá, São Paulo Fone/Fax: 4546-8220 - Desenvolvido por: Sarro Comunicação